Declarada guerra contra os pipocas: você é contra ou a favor?

Declarada guerra contra os pipocas: você é contra ou a favor?

O site Todo Mundo Corre  quer saber a opinião dos corredores de rua sobre este assunto tão polêmico: "PIPOCAS". Esse é um tema não permitido em muito

Projeto De Braços Abertos está de volta à comunidade do Borel
Todo Mundo Corre, inclusive os Cães!!!
Quais são as maiores maratonas do mundo?

O site Todo Mundo Corre  quer saber a opinião dos corredores de rua sobre este assunto tão polêmico: “PIPOCAS”.

Esse é um tema não permitido em muitos grupos de corrida devido a opiniões tão divergentes e extremistas sobre o assunto.

Mas o site Todo Mundo Corre quer saber sua opinião sobre os pipocas. Se você é contra ou a favor? Por quê?

Leia a matéria e deixe sua opinião nos comentários.

Para quem não sabe, pipocas ou bandidos (bandits, como são chamados nos Estados Unidos) são corredores que participaram de um evento oficial de corridas sem estar devidamente inscritos. São considerados “bandidos” pois roubam estrutura, espaço, medalhas e o precioso líquido dos corredores: a água. (Site: Ativo.com)

Conforme publicado no site Esportividade:

Maratona de São Paulo de 2014 (MidiaSport).

“O que houve na Corrida de São Silvestre-2016, em que é uma prestadora de serviço, foi a “gota d’água”, e foi justamente água que faltou para quem corria no pelotão traseiro. A Yescom atribuiu aos não inscritos – que, segundo ela, representavam cerca de 30% do total – grande parte da responsabilidade pelo que houve, mas disse ainda não ter encontrado a solução de abastecimento de água ideal para seus maiores eventos – como você lê em Maratona de SP: falta água, e atletas passam por apuros; ‘heróis’ os salvam, não foi a primeira falta de água em uma prova dela. Depois da São Silvestre, foram tiradas fotos de caixas de água ainda fechadas, dando pistas de uma falha de distribuição.

Na Meia de São Paulo da Yescom, já na praça Charles Miller, diante do estádio do Pacaembu, os atletas encontrarão novidades: somente possuidores de número de peito poderão acessar a área de largada. A ideia inicial é que a equipe de apoio use uma camiseta com o slogan da campanha “antipipoca”. Nos postos de água, uma mensagem como “água somente para quem tem número de peito” será visível. Antes da chegada será feita uma triagem inicial para impedir que os não inscritos entrem no local, e os corredores passarão por uma triagem final na retirada de medalha, água e lanche.

A campanha “antipipoca” circulará em redes sociais da Yescom e aparecerá até mesmo em um panfleto que será entregue com o kit dos atletas da Meia-2017.

De acordo com a Yescom, a presença de “pipocas” encarece as inscrições de uma corrida, uma vez que o evento acaba por ser maior do que precisaria ser – com eles é imprevisível saber quantas pessoas aparecerão. A companhia argumentou que, embora as ruas sejam públicas, quando paga taxas tem o direito de utilizá-las e que não são poucos os procedimentos legais exigidos para a realização uma prova.

A empresa disse ter conhecimento de casos de “pipoca” mais sérios, como duplicação (ou multiplicação) de números de peito, tentativas de obtenção de medalha exibindo o número de peito de outro evento qualquer e utilização de inscrição de um idoso terceiro para ter 50% de desconto. Afirmou já tomar as medidas legais cabíveis contra essas pessoas.

A Yescom espera que a campanha sirva para nos próximos cinco anos alterar um cenário que, de acordo com ela, vai piorar se nada for feito, podendo até ter como resultado acidentes graves com participantes.”

Segundo o site Ativo.com:

“Depois da invasão sem precedentes de pipocas-bandidos nas principais corridas de rua do Brasil, dois dos maiores organizadores brasileiros decretaram “guerra” aos corruptos das corridas.

Imagens divulgadas pela Spiridon mostram corredoras participando de competições da organizadora carioca com números de peito falsificados e replicados para várias outras pessoas. Como consequência, prejuízo direto aos demais corredores que podem, em tese, ficar sem suas medalhas, lanches e hidratação, já que os números contendo o “vale-medalha” e o “vale- lanche” permitem que esses que praticam falsidade ideológica retirem “suas” medalhas.

O mais chocante das imagens é que as corredoras estão a bordo de tênis de última geração, cronômetros que valem um bom dinheiro, roupas da moda e camisetas de assessorias esportivas. Uma completa vergonha.

João Traven, um dos proprietários da Spiridon, avisou que a partir deste ano corredores que praticarem esse tipo de conduta, quando pegos em flagrante delito, serão encaminhados à delegacia mais próxima.”

Outra grande organizadora, a Yescom, reuniu na semana passada imprensa, mídia e formadores de opinião para anunciar medidas de controle mais rígidas para inibir a prática corrupta. A partir da Meia Maratona de São Paulo, em fevereiro, os pipocas-bandidos serão impedidos de entrar nas baias de largada e de atravessar o pórtico de chegada nas provas da empresa.

Não há almoço grátis. Os custos e, por consequência, o valor das inscrições das corridas, que não são baixos, se elevam exponencialmente, e a corda estoura para quem pagou: seja na falta de conforto, de água e de medalhas ou no encarecimento das inscrições.

Que tais práticas impostas por esse dois organizadores se espalhem pelo Brasil.”

A matéria com título “Pulem fora, pipocas”, no site Ativo, diz:

“[…]

Nesta São Silvestre com quase 30°C no pico da chegada, houve falta de água no percurso para os mais lentos, e claro, uma parcela considerável de culpa coube aos pipocas.

[…]

São milhares de pipocas e, para organização, seja de que prova for, é tarefa árdua gerenciá-los. Dimensionar 10% a mais entre corredores é uma coisa, de 30% a 50% é outra bem diferente. E pergunta que faço: até que ponto a organização pode estimar pipocas sem colocar a segurança dos demais em risco?

Além disso, esses números dão álibis aos organizadores de terceirizarem a culpa – ou seja, se o pipoca não ferrar a prova de um jeito, ele ferra de outro.

Na São Silvestre, há dois tipos de pipocas: os “profissionais”, formados por corredores – e pior – muitos deles ostentando camisetas das assessorias mais caras do Brasil; existe também o pipoca “Migué”, que nem sabe o que são corridas de rua e estão ali por estar.

O pipoca profissional chega ao ímpeto de clonar o número de peito e assim enganar o staff, pegando a medalha que não lhe pertence, utilizando-se de estelionato, crime previsto no artigo 171 do Código Penal Brasileiro.

Outra forma de burlar é o ‘2×1’. Um corredor inscrito cede a camiseta e número oficial ao colega, enquanto o pagante corre apenas com o chip. Ao final, ambos ganham medalhas.

[…]

Pulem fora, pipocas.”

Para o site Esportividade a discussão sobre preços de inscrições ofusca tentativa de debater ‘pipocas’

“A Yescom lançou oficialmente nesta terça-feira, 31 de janeiro de 2017, sua campanha “antipipoca”. O que se percebe em redes sociais (Facebook) é que, por enquanto, a sua mensagem ainda não causou o impacto desejado pela empresa. Na verdade, duas outras discussões ofuscam os “pipoqueiros”: o preço das inscrições e a falta de água na São Silvestre, evento organizado pela mesma Yescom. Enquanto os valores não forem seriamente debatidos, qualquer tentativa de debate sobre “pipocas” não terá a atenção devida.

A linha de raciocínio que mais tem adeptos tem a ver com o preço das inscrições. Diz que estão caras demais e lamenta o fato de não serem “acessíveis”. Há quem pense que os “pipocas” são fruto dos altos valores – mas há quem argumente que existem pessoas que correm sem estarem inscritas mesmo em provas gratuitas.

[…]

Vários dos custos de uma corrida independem da vontade de um atleta, mas alguns não são assim, como itens que compõem o kit de participação. Poucos são os eventos que permitem que o corredor não compre uma camiseta, por exemplo, e, por excluí-la do kit, tenha um desconto ao se inscrever na prova. Mas tal personalização dependeria de uma alteração de planejamento, e os patrocinadores teriam de estar cientes de que a camiseta, peça de recordação e publicitária, não seria mais tão importante quanto já foi para os anunciantes.

As empresas organizadoras precisam entender seu público, o bolso do atleta e o que e como os corredores pensam – caso contrário, um diálogo entre as partes ficará cada vez mais difícil.”

 

O site Todo Mundo Corre quer saber sua opinião sobre os pipocas. Se você é contra ou a favor? Por quê?
Deixe sua opinião nos comentários.

 

Fontes consultadas em 13/02/2017:

http://www.esportividade.com.br/yescom-compra-briga-e-encabeca-uma-longa-campanha-antipipoca/

http://www.esportividade.com.br/discussao-sobre-precos-de-inscricoes-ofusca-tentativa-de-debater-pipocas/

https://www.ativo.com/experts/organizadores-corrida-de-rua-duros-pipocas/

https://www.ativo.com/experts/pulem-fora-pipocas/

 

 

Os textos, informações e opiniões publicados nesta matéria foram extraídos da imprensa especializada. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do site Todo Mundo Corre.

 

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 6
  • comment-avatar
    Bruno 2 anos

    Boa tarde!!!
    Eu sinceramente acho que o cidadão cumpridor de seus deveres , não pode jamais ter seu direito de ir e vir ferido. Se o mesmo não usufrui de nenhum tipo de suporte proporcionado pela organizadora do evento ( água, fruta , medalha etc..) , este não pode ser proibido de correr em local público. Então se pipoca for aquele que corre no local público em que um evento particular está sendo realizado e ele não usufrui de nada do evento. Sim , sou a favor das pipocas e acho que a organizadora nem tem o poder de proibir as pessoas de correr nessa situação.
    Ainda acho que estão incitando os que pagam a constranger os que apenas estão correndo no msm local que por sinal é público.
    Isso é apenas o que penso.

  • comment-avatar
    Daniele 2 anos

    Sou a favor dos pipocas sim, afinal as inscrições estão muito caras, e o que antes era para a promoção da saúde tirar a população do sedentarismo virou um comércio de luxo, onde paga se caro e recebe se pouco. Sou a favor das corridas com um valor acessível para toda a população.

  • comment-avatar

    Olá Roberta boa noite, eu sou contra os PIPOCAS…Pois se os pipocas levassem suas águas e não atrapalhasse tudo bem, mas atrapalham sim, inclusive já presenciei pipocas usufruindo da água, medalha, lanche e inclusive trombando em atletas inscritos e vindo acontecer acidentes. Pois bem muitos falam assim a rua é pública e temos o direito de ir e vir, sim tem esse direito, mas a organizadora de corrida pagou caro a Prefeitura para usar o espaço público, o corredor inscrito pagou a inscrição para usar o espaço público. Pois bem vou usar o espaço ATERRO DO FLAMENGO como exemplo, quando tem corridas grandes no Aterro aparece um monte de pipocas, mas pq quando não tem nenhuma corrida não aparece nenhum pipoca na prova, então nos dias que não tem corridas eles não correm? Ou seja os pipocas querem correr de graça e se acham no direito de atrapalhar quem está inscrito. Engraçado quero ver essas pessoas que defendem e correm de pipocas fazer uma festa particular para sua família por exemplo comemorando um aniversário, casamento e etc e etc e de repente aparecer na festa um monte de PENETRAS beber e comer tudo de graça ae eu quero ver se o dono da festa vai aceitar/gostar? É ruim hein, então pimenta no olho dos outros é refresco…Aí depois querem reclamar dos politicos ladrões mas esquecem que estão fazendo a mesma coisa que é roubando. Ainda tem aquela turma que diz que corre de pipocas pq as corridas estão caras…Sim estão caras pq a culpa são de todos os corredores pq se não pagassem as inscrições caras se unindo boicoitando ou reinvindicando as corridas não estariam tão caro. O que não falta é espaço para correr, mas os espertinhos querem estragar a festa dos outros…Lamentável!!

    Abs,

    Jorge Ultramaratonista

  • comment-avatar
    Roberta Calácio 1 ano

    Sou à favor dos pipocas Sim!! E quem está julgando e até com comentários “pesados” equiparando “corredor pipoca” com políticos ladrões e etc… que atire então a primeira pedra se é um “Ser humano e brasileiro tão politicamente correto” pra tudo na Vida e no mundo!?Eu acho muito egoísmo da parte do “ser humano” não ser ao menos solidário com quem não tem condições financeiras e muitas vezes correr é a “tábua de salvação” pra que não ocorra até uma desgraça maior, como até mesmo tirar a própria Vida!?Sim, falo em meu nome por começar a participar de corridas de rua em Campinas/SP há 1 ano, após o fim de um casamento de 10 anos, com muitas traições, humilhações e até agressões…onde me vi e me vejo sozinha até os dias de hoje com uma filha especial de 6 anos!!Como não tenho amigos, não tenho emprego, recebo uma mísera pensão pra minha filha de R$280,00 que mal cobre o valor do convênio médico que ela necessita e sou pai, mãe, dona de casa e etc… fazendo tudo de ônibus na minha cidade, e pegando até 6 ônibus num dia; seja trazendo compras de supermercado nas costas ou levando minha filha nas terapias de apoio ou consultas médicas. Pois não tenho ajuda de ninguém, nem da família, e tentamos sobreviver com o benefício de 1 salário mínimo de minha filha. Então me pergunto: Por quê as corridas são exatamente um comércio aberto e discriminatório? Sim, só tem chance os “abastados” que fazem parte de equipes de corridas, e sim, com suas roupas esportivas caras, tênis de alta performance e caros e sempre se deslocam com seus carros, e pagam inscrições de valores absurdos pra realidade do nosso país hoje!! Com desemprego e sendo obrigado a escolher que conta irá pagar ou se vai comer? Participei da corrida dos Distritos de minha cidade e a corrida Bradesco, inclusive com minha filha especial de 6 anos, que amou receber a medalha e ter a camiseta da corrida, com direito à àgua, frutinhas (diga-se de passagem, em corridas caras já vi bananas e maçãs pequenas e ruins com pessoas de minha amizade que estavam inscritas nas corridas) toda infra-estrutura há preços populares como R$ 20,00 e R$35,00!! Corridas com valores iniciais de R$ 50,00, R$ 65,00, R$ 75,00, R$ 90,00 e valores cada vez mais altos e caros, são apenas marketing!! Então, esta Desculpa de culpar quem está de “pipoca” demasiadamente é Incriminatório (no meu modo de ver) e taxativo!! Eu treino quando consigo, no mínimo 3 vezes na semana próximo a minha casa com um percurso de 6,5 k, então não estou ali de “paráquedas”, tenho dedicação e disciplina pelo que estou fazendo. Treino perto de casa com um tênis velho, com solado gasto e até estourado os dedinhos dos lados, e comprei em 10 vezes um tênis de valor não muito alto pra participar das corridas de ruas oficiais e não ter ocorrer nenhum acidente comigo e envolver outras pessoas; e referente as roupas esportivas, bonés e etc, tenho até algumas de marcas, que comprei à preços módicos no próprio Bazar da Instituição onde minha filha frequenta fazendo terapias. Então, quem julga “um livro pela capa, não sabe seu conteúdo”!? E sou hipertensa, no qual já tive 1 Avc após o parto prematuro de 8 meses de minha filha, com uma pós-eclâmpsia ficando em coma por 5 dias, hoje tento fazer acompanhamento pelo SUS, e com 22 quilos eliminados em menos de 1 ano, posso dizer que minha saúde, disposição e auto-estima melhoraram e muito!! E, se caso um “pipoca” passar mal durante a prova, hoje em dia todo mundo tem telefone celular e pode ligar pros Bombeiros ou Samu que prestam socorro onde for e a qualquer momento, além de lembrar que somos cidadãos, pagamos nossos impostos também e somos Vidas!! Com relação aos pontos de hidratação, referente a àgua, eu nas primeiras corridas confesso que já cheguei a pegar 1 copinho d’água durante a prova, mesmo participando como “pipoca”; mas com o passar do tempo, as corridas, os treinos durante a semana, comecei a habituar-me a não tomar àgua, pois atrapalha meu desempenho e só o faço quando efetivamente entro na minha casa; além do meu senso ético e moral cobraram de mim mesma, colocando-me realmente no lugar do outro que tem o efetivo direito porque pagou sua inscrição!! Mas lembrando também, que fui testemunha por diversas vezes de várias situações descabidas, tanto com os inscritos, que se tem 2 ou 3 postos de hidratação numa corrida e tem pessoas que pegam 2 copinhos d’água em cada ponto de hidratação, e com o pessoal de equipes de corrida a coisa piora; como também não alivio pra quem também corre de “pipoca” como Eu, e faz uso e pega aqueles copinhos d’água. Bom, respeito, ética e educação cada um sabe o “berço” que foi criado, então não generalize e critique culpando a todos os corredores de “pipoca”! Referente as medalhas e frutinhas à serem pegas após o fim da corrida, em todas que participei inscrita ou de “pipoca” sempre tem aqueles Seguranças Gigantes e Brutamontes que ficam na entrada pras àreas reservadas e visivelmente se você não está com a camiseta daquela corrida ou mesmo com a camiseta da equipe, você não está com o número de inscrição à mostra e o chip nos pés VOCÊ É BARRADO e IMPEDIDO de adentrar SIM!! Pode ter até pessoas que “falsificam” aquela inscrição de peito, mas muito difícil!? Então, estou falando por mim Roberta, claro que o problema é meu por não ter a sorte de ter dinheiro sobrando em minha vida, e sim, tenho responsabilidades em sustentar minha filha, pagar as contas da casa e à mim também, mas não posso ser irresponsável e pagar uma inscrição de corrida, seja R$ 50,00 ou R$ 65,00 pra mais, e faltar o leite, pão, remédio pra minha filha(pq nem todos se tem acesso no posto de saúde), a passagem de ônibus (que por sinal é muito cara em Campinas/SP R$ 4.50) e etc… então num mundo onde buscamos qualidade de vida, correr faz muito bem obrigada!! Eu notei não apenas as mudanças físicas e visíveis no meu corpo com a eliminação em menos de 1 ano de 22 quilos, mesmo com 40 anos, mas o quanto é ótimo pra minha mente, faz bem pra saúde, superando a mim mesma a cada dia por cada K conquistado, pois já corri 5,6, 7, 8 e 10 k, e cada vez mais diminuindo meu tempo e melhorando minha perfomance e rendimento. Apesar de como contei, sou sozinha e não tenho amigas pra me acompanhar em nada na minha Vida, e por muitas vezes pra participar das corridas saio de madrugada de casa ou venho tarde da noite passando pelo Centro de Campinas/SP e pegando 2 ônibus, é muito perigoso pra uma mulher e sozinha; pois moro em direção oposta aos locais das provas e não tenho carro ou carona; mas o melhor disso tudo, é afastar de minha cabeça pensamentos ruins e até suícidas por toda situação pessoal que enfrento, além de tentar apagar de minha mente as palavras do FDP do meu Ex-marido que disse: “que sou Gorda, Velha e Feia!! E que ninguém vai ficar comigo!” Então vamos ser mais solidários e menos egoístas, se coloquem no lugar do outro que está ali correndo mesmo de “pipoca”, cada um tem uma situação de Vida e não generalize e culpe a todos!! Vamos ser mais “pipocas” no dia a dia e no mundo, mas no sentido de sermos mais juntos e unidos, como a pipoca que comemos não só nos cinemas, educação e respeito ao próximo é a base de tudo, pode salvar Vidas!!

  • comment-avatar
    Luciano Passos 1 ano

    Corro frequentement na Holanda pagando no máximo 20 Euros para corridas de distancia semelhante. Não falta água, nem “Gatorade” nem frutas no final. Tem sempre a medalhinha também. Não tem nenum pipoca. Mas afinal, existem os pipocas porque a inscrição é muito cara ou a inscrição é muito cara porque existem os pipocas???

    Corri a S. Silvestre 2016 pela primeira vez e me senti roubado porque passei muita sede. Não sei se fui roubado pelos pipocas ou pela YESCOM. Esse ano estou pensando em correr como PIPOCA, mas vou levar minha mochilinha com água, suco e barras de ceral. FORA YESCOM e VIVA a festa.

  • comment-avatar
    Bruno 11 meses

    Sinceramente, respeito a opinião de todos, porém é de pessoa para pessoa, da mesma forma que existem pessoas boas existem pessoas ruins, eu tenho um emprego comum e gosto de correr porém meu salário não dá para pagar todas as corridas que vou, por que cada corrida a inscrição minima é em torno mínimo de 40 reais se vou eu e minha esposa, já se torna 80, isso por cada corrida ai vc poe 4 ou 5 no mês é impossível vc pagar todas tendo um emprego normal, em fim corro e não pego agua nem medalha e nem as frutas ou alimentação, corro por prazer e quem corre sabe que correr sozinho, é diferente que correr no meio da galera, do mesmo jeito que tem gnt que corre pagando e joga a tal e tão falada água fora ou na cabeça ou fora sem beber, uma pessoa pode correr sem pagar e sim beber a água… É minha opinião só isso